9 dicas para você conquistar clientes

Abrir um negócio é um processo longo e que leva tempo. Por isso, é muito frustrante para alguns empreendedores não venderem o suficiente ou não alcançarem o rendimento esperado. Para amenizar ou evitar estes problemas, separamos 9 dicas que irão te ajudar a conquistar clientes e fazer com que eles comprem com você:

Aposte nos serviços Celcoin

Uma novidade que você pode ter no seu negócio e que, com certeza, irá conquistar clientes, é a venda dos serviços Celcoin. Com Celcoin na sua empresa, os clientes saem satisfeitos com a possibilidade de comprar serviços essenciais de forma rápida, prática e, muitas vezes, perto de casa, e a sua empresa ainda vende e lucra mais!

Conheça o seu cliente

Para que o empreendedor consiga conquistar clientes, antes de qualquer coisa ele deve conhecer estes consumidores, entender quem é o seu público. Para isso acontecer, é importante ficar atento às características de quem entra no seu estabelecimento, o que buscam etc. Assim sua empresa supre as expectativas do consumidor e pode torná-lo fiel.

Aposte na propaganda boca a boca

Não tem propaganda melhor para conquistar clientes do que aquela feita pelos próprios clientes, ou seja, o boca a boca. A sua empresa precisa oferecer algum diferencial e atrativo que faça com que os seus consumidores indiquem o seu estabelecimento aos amigos e parentes. Assim você ganha credibilidade e vende mais!

Crie promoções

Não tem jeito: o preço é um fator que sempre vai ser levado em consideração no momento da compra. Por isso, para conquistar clientes e fechar as vendas, é preciso realizar promoções e oferecer descontos atrativos para o consumidor, mas sem que isso prejudique o seu negócio e faturamento

Cuide da imagem da sua empresa

Se você não investe muito em propaganda e espera os clientes irem até a sua empresa, é preciso ter o cuidado de mantar uma boa imagem interna e externa do estabelecimento. Isso porque um ambiente organizado atrai o olhar de quem passa na frente da sua loja e pode ser o diferencial para o consumidor entrar e comprar.

Crie estratégias de fidelização

Conquistar clientes é uma tarefa que vai muito além de uma única venda. E para garantir que o cliente volte, é preciso investir em estratégias como a fidelização. Brindes exclusivos, descontos especiais, cartão fidelidade etc., são alternativas que conquistam o público e garantem grandes chances de fidelização! O importante é criar um laço com o cliente.

Invista nas Redes Sociais

A sua empresa deve estar onde o consumidor está, ou seja, na internet, principalmente nas redes sociais. Investir nessas novas mídias é uma forma efetiva de conquistar clientes porque, através delas, a sua empresa pode interagir com eles, descobrir suas necessidades, personalidade, enfim. Além disso, é possível investir nestas redes, divulgando seu serviço e alcançando novos consumidores.

Ofereça uma experiência marcante

Uma experiência de compra marcante, onde o cliente se sinta confortável e satisfeito, é essencial para conquistar clientes. Isso porque o atendimento pode ser o diferencial entre o cliente voltar ou nunca mais aparecer. Portanto, investir em detalhes que deixem o espaço mais aconchegante ou atrativo, dispor melhor os produtos ou mesmo oferecer uma água ou café, por exemplo, podem garantir que o público lembre da sua empresa e retorne.

Ofereça algo novo

Para conquistar clientes e fazer com que eles se tornem fiéis ao seu negócio é preciso apresentar coisas novas e diferentes dos concorrentes. Ter características que diferenciem a sua empresa das demais pode ser determinante para a escolha do público que fica entre alguém que oferece sempre o mesmo e alguém que inova e busca melhorar continuamente.

Compartilhe:

7 dicas para vender mais em menos tempo

Independente do ramo de uma empresa ou o seu tamanho, uma coisa é certa: ela só sobrevive se conseguir vender seus produtos ou serviços. Assim, fechar o negócio e realizar a venda é o objetivo de todo empreendedor e esta etapa sempre pode ser melhorada. Para te ajudar, separamos 7 dicas que você pode utilizar para fechar as vendas e ainda vender mais em menos tempo. Confira:

Dê o primeiro passo

Uma dica importante para vender mais em menos tempo é dar o primeiro passo. Isso significa não esperar pelo cliente, mas ir ao encontro dele, se destacar neste cenário e ser o mais rápido e estratégico. Para isso acontecer, é importante investir em meios para alcançar o consumidor, como marketing e publicidade, por exemplo, fazendo ele conhecer sua empresa e, eventualmente, ir até ela.

Seja claro e objetivo

Para vender mais em menos tempo é importante também ficar atento à maneira como é feito o atendimento ao cliente na hora da venda. Apesar de uma boa conversa com o consumidor ser importante, na hora da venda é preciso ser objetivo e passar as informações relevantes rapidamente. Isso porque muitos clientes não têm tempo para longas conversas e precisam de uma ajuda clara e direta e que seja capaz de solucionar seus problemas

Identifique consumidores mediatos e imediatos

O consumidor mediato é aquele que vai pesquisar sobre sua empresa, mas não realizará a compra imediatamente. Já o consumidor imediato é aquele que vai até você já pensando em fechar o negócio. E para vender mais em menos tempo, é importante identificar e saber lidar com cada um deles: fortaleça a imagem da sua empresa para fazer o consumidor mediato comprar de você em algum momento e crie um vínculo rápido com o consumidor imediato para ele não desistir de comprar com você.

Saiba identificar quem vai comprar e quem não vai

Muitas pessoas vão até uma loja apenas para dar uma olhada ou tirar uma dúvida. Ou seja: não irão consumir. Então, para conseguir vender mais em menos tempo e não desperdiçar boas oportunidades de venda, é importante identificar quem vai comprar com você e quem não vai. Procure perceber o real interesse de quem vai até sua empresa e se a pessoa realmente precisa do produto ou serviço ou se só vai dar uma olhadinha.

Torne o contato mais pessoal

Apesar de o atendimento ao cliente precisar ser direto e objetivo, é importante criar um vínculo de parceria e empatia com ele. Isso porque o atendimento faz uma grande diferença na opinião do consumidor sobre a sua empresa e precisa ser bom e efetivo. Para isso acontecer e você conseguir vender mais em menos tempo, inicie a conversa de forma leve e amigável e quebre a barreira vendedor-cliente tornando o contato mais dinâmico e um pouco informal.

Fortaleça seus contatos

Vender mais em menos tempo é um processo que envolve também a criação de uma forma de interação entre os clientes. Isso porque os consumidores podem ajudar um ao outro e a sua empresa pode ser a ligação entre eles. Isso fortalece a imagem do seu negócio e estimula o crescimento de todos.

Conheça bem os novos consumidores

Os tempos mudaram e os consumidores mudaram também. Os clientes estão cada vez mais atentos, seletivos e exigentes e a sua empresa precisa ficar atenta às novas redes de comunicação – internet, e ao pós-venda. Vender mais em menos tempo para estes novos clientes significa mais do que a venda em si, mas a entrega de algo de qualidade superior e a criação de uma experiência de venda que fique na memória.

Compartilhe:

Conheça os 11 tipos de clientes que você pode encontrar

Uma das figuras essenciais para ajudar no sucesso de um negócio é o cliente. Ninguém melhor do que o seu cliente para avaliar os pontos negativos e positivos do seu produto ou serviço. E para te ajudar a conversar com o seu público do jeito certo, separamos 11 tipos de clientes que podem passar pela sua empresa. Confira:

1. Amante da marca

É um dos tipos de clientes que toda marca procura ter. O amante da marca é quem defende a empresa, indica e divulga o negócio de forma espontânea. Mas atenção: é preciso investir nesse cliente para ele se sentir especial e continuar defendendo a marca.

2. Agitador

O agitador é um dos tipos de clientes que pode ser bom ou ruim para a empresa, porque eles são participativos, mas nem sempre pelo lado bom. Esse cliente quer ter popularidade, presença, podendo até causar encrenca… O importante é não dar espaço para ele e resolver suas solicitações rapidamente.

3. Especialista

Um dos tipos de clientes que exige habilidade técnica no atendimento é o especialista. Este cliente sabe tudo sobre o produto, às vezes mais que o vendedor. Por isso, para conquistá-lo é importante passar credibilidade e mostrar que entende do assunto sem ser arrogante.

4. Colaborador

O colaborador é um dos tipos de clientes que realmente ajudam a empresa. Este consumidor compartilha a opinião da marca, elogia e critica com a intenção de melhorar o produto ou serviço. É importante mostrar interesse pelas sugestões dele, fazer pesquisas de satisfação e sempre agradecer.

5. Mal-humorado

O mal-humorado é aquele cliente disposto a brigar, colocar defeito em tudo, são difíceis de negociar e podem agir com agressividade. Por isso, é importante lidar com este cliente da melhor maneira possível: com tranquilidade e educação, resolvendo seus problemas de forma profissional e objetiva.

6. Pidão

Um dos tipos de clientes que mais exige da empresa é o pidão. Isso porque ele sempre quer algo a mais e se considera merecedor de algum “prêmio”. Para lidar bem com o pidão, é necessário fazer ele se sentir privilegiado sem causar despesas muito caras para a empresa.

7. Impaciente

O cliente impaciente é aquele ansioso, apressado e que não sabe esperar por atendimento ou prazos. Para se relacionar bem com o cliente impaciente é necessário não ceder aos caprichos dele, deixar as normas e prazos bem claros e, principalmente, cumprir com as promessas feitas para ele.

8. Indeciso

Um dos tipos de clientes mais fáceis de encontrar são os indecisos, pessoas que não sabem direto o que querem comprar e sempre demoram para escolher. Para conquistar este cliente é necessário se mostrar solicito, tirar as dúvidas e estabelecer uma relação próxima para ele finalizar a compra.

9. Crítico

O crítico é aquele cliente que nunca está satisfeito, reclama muito e questiona tudo, mas que, ao mesmo tempo, ajuda no desenvolvimento da empresa, pois suas reclamações podem virar aprimoramento. Para lidar com o crítico, mostre que está disposto a ouvir e acatar suas considerações.

10. Irritado

O cliente irritado é um dos tipos de clientes que briga por ter um motivo. É o consumidor que teve uma experiência negativa com a empresa e agora se sente prejudicado. Para lidar com ele é importante resolver o problema de forma clara, com calma e sem deixar a raiva aparecer novamente.

11. Bem-humorado

O cliente bem-humorado é um dos tipos de clientes favoritos dos lojistas e empreendedores. Este usuário permanece alegre e aberto à conversa mesmo em situações negativas. Para manter o bom relacionamento, o atendimento deste cliente deve ser bem-humorado e com clima de amizade sem perder o profissionalismo.

 

Compartilhe:

Organização da loja: por que isso é tão importante?

Quantas vezes entramos em uma loja e ficamos com a sensação de que tinha algo estranho ali? Essa impressão negativa tem tudo a ver com a organização da loja, um elemento essencial para causar aquela primeira boa impressão nos clientes.

O ponto é que os lojistas, acostumados com o ambiente, não percebem que a organização da loja está ruim, mas os clientes conseguem notar as falhas. Por isso, pensar na organização da loja é essencial para deixar o ambiente agradável e proporcionar experiências positivas para o consumidor. Confira alguns pontos que fazem esta tarefa essencial para qualquer negócio:

1. Bem-estar e conforto para todos

A organização do estabelecimento deve ser pensada não apenas para o cliente, mas também para quem está sempre na loja: você e os funcionários. Elaborar a organização da loja significa proporcionar um ambiente de conforto e qualidade para quem trabalha nela, o que traz mais alegria, disposição e, consequentemente, melhoria nas vendas. Estar atendo à organização do espaço significa também que o funcionário sempre saberá onde está cada produto e o cliente terá a sensação de um atendimento mais eficiente e de qualidade.

2. Boa impressão

A organização da loja é uma estratégia essencial e a maior aliada na hora de causar uma boa impressão nos clientes. Isso porque um espaço de compras bagunçado ou mesmo mal organizado pode desestimular possíveis clientes, afastar aqueles que já foram ao seu estabelecimento e, assim, impedir que novas vendas sejam realizadas. Por isso, principalmente no varejo, a organização do ambiente deve ser bem elaborada. E para ter uma organização da loja eficiente você pode buscar suportes para distribuir melhor os produtos, como araras, estantes e outros itens que contribuam para uma boa organização etc.

3. Aumento das vendas

O trabalho de organização da loja, assim como diversas outras estratégias visuais, tem um impacto direto e muito grande nos resultados das vendas. Com isso, investi na organização da loja de modo eficiente fará toda a diferença no seu faturamento e, para isso, você pode utilizar estratégias como, por exemplo:

  • Desenvolver um trajeto de compra para o cliente seguir;
  • Utilizar expositores chamativos;
  • Colocar os produtos que vendem menos em espaços privilegiados.

Pensar nestas e outras estratégias é cuidar do visual de sua loja. Mostrar este cuidado é o que pode te diferenciar da concorrência e fazer o cliente escolher você e não o outro.

4. Gestão eficiente

A tecnologia pode auxiliar as empresas na organização da loja, principalmente os sistemas informatizados de controle de estoque, por exemplo. Porém, não adianta ter uma tecnologia avançada e seguir sua organização à risca se no espaço físico não há nenhum cuidado em manter a loja e os produtos em ordem. Desse modo, a organização da loja deve ser aplicada em todas as áreas, tanto no sistema operacional, quanto no estoque e na loja. É necessário separar bem as peças, modelos, tamanhos ou mesmo cores dos produtos. Isso facilitará os processos e tornará a gestão da empresa muito mais eficiente.

5. Fidelização de clientes

Diversos pontos, quando não aplicados corretamente na organização da loja, podem afastar consumidores e prejudicar as vendas do seu negócio. Porém, quando bem utilizada, a organização de loja pode garantir a fidelização de clientes. Se, quando não aplicada corretamente ou mesmo não aplicada de forma alguma, a organização da loja causa estranheza e afasta os clientes, uma loja organizada causa o oposto: com produtos bem distribuídos e expostos, funcionários satisfeitos e trabalho eficiente, o cliente fica muito mais feliz e vai voltar, ou seja, se fidelizará! E isso só traz resultados positivos, afinal, a melhor propaganda é uma boa experiência de compra.

 

 

Compartilhe:

10 problemas que atrapalham o controle de estoque

O controle de estoque é uma operação crucial para qualquer negócio que trabalha com venda de produtos, já que ele funciona como o coração de todo varejo. Para te orientar nesta tarefa, separamos 10 problemas que atrapalham o controle de estoque para você verificar se alguns deles têm prejudicado a sua empresa:

1. Comprar mais do que precisa

Um dos problemas que atrapalham o controle de estoque é exagerar na compra. A falta de atenção à quantidade de produtos aumenta o risco de vencimento, ocupa espaços de armazenamento que poderia ser ocupado por itens realmente necessários, dificulta inventários, paralisa o capital e ainda contribui para o desperdício.

2. Não realizar inventários periódicos

Realizar inventários frequentes é a principal forma de encontrar problemas que atrapalham o controle de estoque. Isso porque a conferência periódica aumenta a chance de encontrar falhas e adianta o desenvolvimento de soluções. Com os inventários, o empreendedor também fica mais atendo às divergências entre sistema e estoque.

3. Segurança falha

Infelizmente é preciso ficar sempre de olho na segurança do estoque, já que ele reúne centenas ou milhares de produtos em um só lugar. Assim, um dos grandes problemas que atrapalham o controle de estoque é a ausência de monitoramento e controle de acesso ao depósito, pois isso facilita o furto dos produtos.

4. Falha no armazenamento

O bom funcionamento de um estoque depende também das condições de manutenção dos produtos. Porém, um dos problemas que atrapalham o controle do estoque é justamente o armazenamento irregular. Por exemplo: você pode perder muitos produtos ao deixá-los em ambientes quentes, muito úmidos ou sem limpeza adequada.

5. Não registrar todas as movimentações

Para ter um bom controle de estoque e garantir o fluxo saudável e correto de produtos na sua empresa, é necessário registrar todas as movimentações realizadas no estoque, como entradas e saídas de produtos. Com o registro preciso, é possível evitar inconsistências na contagem, compras desnecessárias ou a falta de itens.

6. Fazer cadastros genéricos

Um cadastro genérico de produtos leva a um dos grandes problemas que atrapalham o controle de estoque: a baixa incorreta de produtos no sistema. Cadastros genéricos podem comprometer todo o estoque e afetar o fluxo de vendas. Por isso, fique atento e faça um cadastro adequado dos produtos para evitar erros!

7. Cadastrar produtos sem descrição

Um fator que pode levar a problemas que atrapalham o controle de estoque é o cadastro incompleto dos itens. Isso porque uma descrição sem detalhes dificulta a busca e consulta dos produtos no sistema. E ainda, caso não haja códigos específicos, corre-se o risco de lançar e baixar os produtos errados.

8. Falha na conversão

A falha na conversão dos produtos significa cadastrar uma quantidade errada de itens, como, por exemplo, receber 20 unidades de um produto, mas registrar 40. Este é um dos problemas que atrapalham o controle de estoque porque interfere nas compras e vendas e no controle de entradas e saídas.

9. Não conferir as entradas

Um grande erro que interfere no controle de estoque é a não conferência das mercadorias quando elas chegam. Existe a possibilidade de o fornecedor enviar uma quantidade errada de produtos ou cobrar um valor diferente do combinado, por exemplo. Fazendo a verificação, o estoque e as notas fiscais ficarem em dia, além de evitar fraudes.

10. Vinculação incorreta

Quando a receita de um produto muda, é necessário cadastrar essa informação no sistema. Esta tarefa é importante para evitar que produtos antigos continuem sendo baixados enquanto os produtos recentes com as alterações de receita são utilizados, o que gera problemas no controle eficiente e fluxo saudável do estoque.

Compartilhe:

Controle de Estoque: 10 dicas para fazer o seu

O controle de estoque é um processo de organização que merece atenção independentemente do tamanho da empresa. Seja o seu negócio um minimercado ou um empreendimento com filiais no mundo todo, pensar no controle do estoque é garantir que erros comuns não aconteçam, como a inesperada falta de produtos, embalagens inteiras fora do prazo de validade, desorganização das prateleiras por ter produtos em excesso, enfim, o controle de estoque é primordial para uma boa organização. Além disso, manter um estoque ótimo é garantir e manter a lucratividade sustentável da empresa, visto que os produtos podem ser comprados no momento certo e sem risco de desperdício.

Tenha um estoquista de confiança

Ter um profissional capacitado e de confiança realizando o controle de estoque é fundamental para garantir eficiência no processo. Este profissional será o encarregado das entradas e saídas de itens, a organização nas prateleiras, estará atento quanto à validade, ou seja, poderá evitar quebras e desvios neste setor.

Estabeleça um padrão de organização

Existem diferentes maneiras de realizar o controle de estoque de uma empresa. Uma delas, por exemplo, controla os produtos por ordem cronológica; outra faz o acompanhamento do estoque por meio do preço das mercadorias. O importante é definir a melhor técnica para o seu estoque e permanecer com ela.

Contabilize o inventário

Ou seja, conte os produtos em estoque. Saber exatamente a quantidade de cada item estocado garantirá um panorama real do que está parado, do que precisa ser adquirido, do que está em excesso… Fique atento ao controle de estoque para melhorar o processo!

Crie um esquema de organização

Para melhorar o processo de conferência e controle de estoque, é importante criar um esquema de organização para os produtos. Com esta organização, é possível separar produtos similares, além de facilitar o acesso aos que são mais utilizados e, claro, o controle do estoque.

Realize controles periódicos

Com o controle periódico do estoque, não apenas a questão da validade, excesso ou falta de produtos pode ser sanada, mas também possíveis problemas e falhas de operação. Ter um ritmo ciclo de controle é fundamental para não errar mais na hora de verificar os produtos.

Planeje as compras com base nas movimentações anteriores

Avaliar o histórico de compras não é importante apenas para uma compra mais eficiente de produtos, mas é também uma forma de saber quando um item é necessário e quando não, já que a sazonalidade pode interferir na necessidade ou não da mercadoria.

Negocie com fornecedores

Na hora de fechar um negócio com um fornecedor, é preciso estar atento não apenas no preço e na qualidade dos produtos, mas também no prazo de entrega. Fornecedores ágeis e flexíveis com a entrega podem evitar que você fique sem mercadoria e, assim, tenha prejuízos.

Faça queima de estoque quando necessário

É muito comum no comércio ter produtos que não tenham saída suficiente ou fiquem “encalhados” nas prateleiras. Para resolver este problema, uma opção é fazer uma liquidação destes itens. Assim você libera espaço para produtos mais rentáveis e com maior saída.

Faça um controle de estoque rígido

Para manter o controle do estoque e não se perder, é importante que este processo seja seguido à risca! Por isso, é preciso ficar muito atento à entrada e saída de itens, ao registro de venda, à reposição… Tudo isso garantirá que o estoque não se descontrole completamente.

Conte com um software

Com a tecnologia cada vez mais avançada, uma boa opção é ter um software de controle de estoque. Ele não resolverá os problemas, mas auxiliará no momento da compra, precificação e em questões operacionais, podendo agilizar e melhorar processos.

Compartilhe:

9 vantagens de se investir em Redes Sociais nas empresas

O investimento em Redes Sociais nas empresas tornou-se mais do que necessário neste momento em que a internet e os smartphones estão sempre à mão do público consumidor. Isso porque todo empreendimento deve estar onde os clientes estão e, agora, eles estão nas Redes Sociais. Além disso, investir em Redes Sociais nas empresas não é apenas uma forma de estar em contato com os clientes ou de ter mais um canal de divulgação da marca, mas também de ser visto por mais gente e, com isso, vender mais! Ainda não ficou convencido de que as redes Sociais valem a pena? Então confira 9 vantagens de apostar e cuidar das Redes Sociais nas empresas:

Tráfego de qualidade

Uma das grandes vantagens de empregar as Redes Sociais nas empresas é a oportunidade de estar em contato com muitos clientes qualificados. Como as Redes Sociais são acessadas por diversas pessoas o tempo todo, marcando presença nelas o seu negócio tem muito mais chances de encontrar clientes potenciais.

Construção de autoridade

As Redes Sociais nas empresas podem ser trabalhadas e utilizadas com diversos fins. Um deles, e que é ótimo também para fidelizar os clientes, é divulgar conteúdos relevantes nas suas plataformas. Seja por textos, vídeos, imagens ou gráficos, por exemplo, oferecer informações aos consumidores é ótimo para transformar sua empresa em uma autoridade.

Reconhecimento de Marca

O investimento em Redes Sociais nas empresas também é uma forma de compartilhar a cultura e os valores do negócio. Com isso, seu público e potenciais clientes terão mais consciência da sua organização e podem se lembrar dela caso haja identificação.

Facilidade para conversar com o público

Além de ser uma plataforma para encontrar clientes, as Redes Sociais nas empresas são também um excelente canal para interagir com o público. Isso se deve pela facilidade de entrar em contato com as pessoas e organizações por estes meios e também por eles serem mais descontraídos e estimularem a interação.

Engajamento

Assim como a interação com o cliente é facilitada com as Redes Sociais nas empresas, promover o engajamento do público também fica mais fácil com estas plataformas. Por isso, é importante sempre divulgar conteúdos interessantes e relevantes para o público, algo engraçado ou informativo que fomente nele o desejo de comentar ou compartilhar.

Disseminar conteúdo

Uma ferramenta encontrada no Facebook, por exemplo, e que pode servir de publicidade orgânica da sua empresa, são as notificações de curtida e compartilhamento dos amigos. Com esta funcionalidade, pessoas que ainda não curtem ou conhecem seu empreendimento podem ter contato com ele por meio de alguém confiável: um amigo.

Veiculação de anúncios

As Redes Sociais nas empresas são uma ótima ferramenta de divulgação de produtos e serviços. Isso porque as postagens podem ser feitas gratuitamente, mas, para ter maior alcance, também é possível investir financeiramente nesta plataforma. Com isso, as marcas podem segmentar melhor o público, atingir os clientes certos e aumentar as chances de venda.

Maior visibilidade para a marca

Utilizar e cuidar das Redes Sociais nas empresas é uma estratégia ótima para dar mais visibilidade à marca. Isso porque a frequência e qualidade no uso destas plataformas melhoram o posicionamento orgânico do negócio na internet e, consequentemente, influenciam positivamente no tráfego e visitação ao site, garantindo também uma maior visibilidade para a marca.

Obtenção de informações relevantes

As Redes Sociais nas empresas são plataformas importantes para a obtenção de informações não apenas do negócio, mas também da concorrência. Por meio das Redes Sociais é possível conhecer e analisar as estratégias de marketing da concorrência e ainda saber o que o público tem falado do seu negócio neste meio, por exemplo.

 

 

Compartilhe:

Como fazer uma Análise de Concorrência para o seu negócio

A Análise de Concorrência, conhecida também como análise de mercado, é um estudo completo sobre a concorrência de uma empresa, os produtos ou serviços que ela oferece ao público, suas estratégias de gestão, sua imagem no mercado… enfim, todos os aspectos que envolvem os concorrentes. Muitos empreendedores ainda questionam a importância deste estudo, porém ele é primordial para garantir algo básico: que a sua empresa esteja sempre na frente. Por isso a Análise de Concorrência deve ser realizada por qualquer empreendimento e deve passar pelas seguintes etapas:

Definir objetivos

Ter um objetivo bem definido sobre o que é pretendido com a Análise de Concorrência é essencial para estabelecer quais informações serão necessárias para a pesquisa ser efetiva. Além de orientar melhor as ações e evitar o desperdício de tempo. Por isso, é preciso ter em mente o que a Análise de Concorrência vai entregar! Seria uma solução melhor para os preços? Seria uma direção para alcançar mais reconhecimento? Ou seria uma forma de entender as estratégias dos concorrentes para conquistar novos clientes?

Determinar os aspectos a serem analisados

Pode não parecer, mas a Análise de Concorrência tem infinitos aspectos a serem explorados, o que pode deixar o estudo muito denso e demorado demais. Por isso, etapa importante deste trabalho é definir pontualmente quais informações precisam ser colhidas para que a análise fique completa, mas não carregada de informações. Alguns pontos que costumam ser vistos são:

– Dados históricos da empresa;

– Número de funcionários;

– Faturamento;

– Principais produtos ou serviços vendidos;

– Estratégias de marketing, comunicação e vendas.

Identifique a melhor forma de coleta de dados

Como a Análise de Concorrência é um estudo completo que demanda tempo, uma estratégia que pode ajudar a otimizar o processo é identificar e definir muito bem como os dados serão coletados. Isso porque, apesar de muitas informações estarem disponíveis em bancos de dados públicos, ou mesmo na internet, será preciso executar um trabalho de investigação com ex-clientes, com ferramentas de análise, ou dados online, por exemplo. Deste modo, depois de definidas as informações necessárias para o estudo, é preciso escolher o método ideal para coleta, levando em consideração os custos e o tempo necessário para desenvolver esta ação.

Faça a interpretação de todos os dados

Definidas as informações e o método de coleta da Análise de Concorrência, é chegada a hora de interpretar as informações. Este é um momento muito importante e que deve ser realizado dentro de um prazo pré-determinado, visto que as estratégias de venda, marketing e campanha podem mudar a qualquer momento devido a eventos comemorativos, como Aniversário e Natal, por exemplo. Esta é a etapa onde realmente a Análise de Concorrência será executada e, por isso, demanda bastante atenção.

Apresente os resultados

Após a análise feita, é preciso compartilhar os dados e informações levantadas com setores interessados da empresa. Para isso, o material colhido deve ser consolidado e organizado em um documento claro que será entregue às áreas da empresa que poderão utilizar este levantamento, como o Comercial, o Financeiro, o Marketing e até mesmo o RH. Com os dados em mãos, cada setor poderá se aprimorar de acordo com que o que acharem de interessante na análise, aplicando no dia-a-dia da empresa ou em suas estratégias de ação as melhorias encontradas.

Para que a Análise de Concorrência possa ajudar de verdade uma empresa, ela precisa ser feita com bastante atenção e carinho. Isso porque este tipo de estudo pode ser o diferencial para qualquer negócio se destacar no mercado competitivo, encontrar oportunidades ainda não exploradas, antecipar os riscos potenciais e ainda, incentivar a inovação da empresa e de suas estratégias de ação.

Compartilhe:

Cliente insatisfeito? 10 dicas para saber lidar com ele

Quem tem um negócio precisa ter em mente que muitas vezes o cliente ficará insatisfeito ou mesmo irritado com a sua empresa, tendo ele uma razão justificável para isso ou não. Mas uma coisa é certa: o empreendedor precisa saber como lidar com este cliente insatisfeito e estar disposto a trabalhar a situação com cordialidade e respeito. Até mesmo porque a forma como a empresa lida com este tipo de situação – que não é raro – fará a diferença entre você ter um cliente satisfeito com o problema resolvido, ou insatisfeito e que nunca mais voltará ou comprará do seu negócio.

Por isso, preparamos 10 dicas que irão te ajudar a lidar com clientes insatisfeitos que a sua empresa encontrará pelo caminho!

O problema não é pessoal

Primeiro de tudo é preciso ter em mente que o cliente insatisfeito está irritados com uma situação que não saiu como o esperado e não com você. Saiba que o problema não é particular, mas sim com a organização.

Fique tranquilo

Quando um cliente insatisfeito chega até você, a primeira vontade pode ser reagir com raiva e responder na mesma moeda. Mas, como empreendedor, você precisa manter a calma, não ficar zangado ou na defensiva, pois o contrário pode prejudicar ainda mais a situação e a relação com o cliente.

Espere a raiva passar

Antes de qualquer coisa, deixe seu cliente insatisfeito desabafar. No momento da raiva, nada que você disser acalmará ou fará sentido na cabeça do seu consumidor estressado. Então a primeira coisa que deve ser feita é esperar que ele se acalme.

Seja solidário

Se mostrar indiferente ou ficar na defensiva pode deixar seu cliente ainda mais furioso. Isso porque o cliente insatisfeito precisa que você não apenas resolva o problema, mas entenda o lado dele. Por isso, tenha paciência e se solidarize com o seu cliente.

Preste atenção no que o cliente tem a dizer

Se há reclamação, é porque há motivo – em grande parte das vezes. Por isso é importante ouvir atentamente o que o cliente insatisfeito tem a dizer. Isso é necessário tanto para ajudá-lo, quanto para mostrar ao empreendedor se existe alguma falha que precisa de correção.

Não faça promessas que não pode cumprir

Fazer promessas que não podem ser cumpridas não resolverá o problema do cliente. Pelo contrário, pode causar ainda mais problemas no futuro. Então seja sincero com relação ao que realmente pode ser feito para solucionar o problema.

Analise o problema

O cliente insatisfeito pode perder a cabeça e não explicar direito o real motivo para a frustração. Por isso é preciso sempre perguntar e confirmar o motivo da insatisfação para garantir que você entendeu o problema.

Pergunte a opinião do cliente

Se o seu cliente insatisfeito sugerir uma solução para o problema que estiver ao seu alcance, uma boa estratégia é executá-la. Mas, não sendo possível, negocie com calma uma solução satisfatória que o agrade e que não seja prejudicial ao seu negócio.

Não fuja do problema

Evitar o cliente dizendo que não pode fazer nada, ou fazendo pouco caso, é a pedida certa para piorar a situação e deixá-lo ainda mais furioso. Encontre uma maneira delicada de dizer o que pode e o que não pode ser feito por ele.

Aja para resolver a situação

Se você prometer para o cliente que irá fazer isso ou aquilo para ajudá-lo com o problema, então faça. Se a solução estiver fora das suas mãos, acompanhe quem resolverá o problema do cliente insatisfeito. Caso contrário, ele pode ter ainda mais insatisfeito, pode passar longe do seu negócio e falar mal dele para as outras pessoas.

Compartilhe:

Processo de Recrutamento e Seleção: 7 maneiras de melhorar o da sua empresa

Investir na otimização do processo de recrutamento e seleção de uma empresa é essencial para garantir bons resultados na contratação. Afinal, este é um momento muito importante que deve ser realizado com assertividade. Isso porque a contratação depende de diversos fatores que ultrapassam a simples análise do currículo, afinal não adianta escolher alguém com currículo perfeito, mas que não se encaixa na cultura organizacional. Confira a seguir 7 formas de melhorar o processo de recrutamento e seleção do seu negócio:

Saber exatamente o que procura

O primeiro passo para iniciar um processo de recrutamento e seleção de qualidade é ter em mente exatamente o que a empresa quer. Para isso, o recrutador precisa ter em mãos todas as informações possíveis sobre uma vaga antes de divulgá-la. É preciso saber a descrição exata do cargo oferecido, quais as habilidades requeridas, as competências necessárias, a escolaridade exigida, entre outros fatores direcionarão a vaga para a pessoa ideal para preenchê-la!

Divulgar exatamente o que será oferecido

Depois de desenvolver o perfil de candidato ideal para uma vaga, é preciso estabelecer com clareza tudo o que será oferecido a ele após o processo de recrutamento e seleção. O recrutador e a empresa precisam informar qual o nível do cargo (assistente, júnior, pleno, sênior); as atividades exercidas; o salário; a carga horária; se é preciso ter habilitação, enfim. Para filtrar os melhores candidatos, é preciso ter estas informações bem claras.

Estabelecer um padrão

O processo de recrutamento e seleção de uma empresa pode ser muito bem aprimorado com a definição das ações a serem tomadas. Ou seja, para melhorar o processo é preciso ter em mente quais metodologias serão aplicadas para a contratação. Estas etapas podem envolver entrevista, dinâmica de grupo, teste de habilidades e conhecimentos, avaliações individuais, enfim, os métodos que a empresa definir como melhores para garantir uma contratação assertiva.

Busque indicações dos colaboradores

Uma estratégia já utilizada por muitas empresas e que pode garantir um sucesso de contratação é pedir indicação de terceiros aos colaboradores. Como o seu colaborador não quer “se queimar” indicando alguém que não combina com a empresa ou que não trabalha bem, ele pensará em pessoas de confiança para a nova oportunidade. Deste modo, esta estratégia pode garantir que alguém preparado e com vontade de trabalhar entre para o seu time.

Usar a tecnologia a favor do processo

Uma das maneiras mais efetivas de melhorar o processo de recrutamento e seleção de uma empresa é otimizando o processo por meio da tecnologia. Isso porque utilizar ferramentas que agilizem ou organizem esse sistema de contratação pode tornar todos os trâmites mais práticos e rápidos. Observe então, o que pode ser aplicado para melhorar o recebimento de currículos, agendamento de entrevistas ou avaliação do candidato, por exemplo.

Divulgar a oportunidade de forma correta

Tão importante quanto melhorar o processo de recrutamento e seleção é saber como e onde divulgar a nova oportunidade oferecida pela sua empresa, já que não haverá sucesso de contratação se ninguém se candidatar. Por isso, uma dica é aproveitar não apenas o site, ou e-mail da empresa, mas as redes sociais, como o Linkedin ou grupos especializados de Facebook.

Manter um banco de dados atualizado

Ter um banco de dados atualizado, organizado e digitalizado fará toda a diferença no momento de uma nova contratação ou mesmo a promoção de colaboradores. Isso porque você terá em mãos as informações pessoais e profissionais dos já contratados ou futuros contratados, como os pontos fortes e fracos e as capacidades desenvolvidas, por exemplo. Com estes dados, a empresa saberá melhor quem convidar para fazer parte do seu time de colaboradores.

Compartilhe: