7 causas de mortalidade de micro e pequenos negócios

Embora existam muitos pequenos negócios abrindo as portas no país, muitos deles não passam do primeiro ano. No Brasil, a taxa de mortalidade de empresas é bastante alta. Das empresas que iniciam suas atividades 70% não completam o segundo ano de existência, representando um grande desperdício de esforços e recursos.

Os empreendedores, quando pensam em abrir uma empresa, muitas vezes não fazem uma avaliação fria e calculada dos riscos e problemas que poderão acontecer em qualquer negócio. A falta de dinheiro no mercado e falta de dinheiro para continuar tocando o negócio são exemplos disso.

As causas para o fracasso da empresa podem estar no próprio empreendedor. Ou seja, na falta de habilidade para gerenciar seu próprio negócio e outras características empreendedoras. É por isso que o empreendedor precisa adquirir conhecimentos para desenvolver um plano de negócio. A seguir estão alguns exemplos de causas de mortalidade de micro e pequenas empresas.

1. Falta de capital para montar o negócio

Maria resolveu montar um negócio para fabricar doces, mas não tinha dinheiro e usou seu cartão de crédito como recurso. No final do ano, o dinheiro que ganhou não cobria os juros do cartão. Não pode manter seu negócio.

2. Escolha do negócio errado para o momento

João perdeu o emprego, tinha um bom dinheiro na poupança e resolveu montar um negócio. Na área em que ele morava havia duas boas padarias. Ele sempre sonhou em ter uma padaria e resolveu montar a terceira padaria do bairro, sem calcular se existia público para comprar em tantos locais com o mesmo objetivo. As outras padarias continuaram concentrando a movimentação por serem mais antigas no local.

3. Escolha errada de local

Antônio montou uma barbearia e tinha duas opções de locais para alugar. A primeira opção era uma rua movimentada com muito comércio e a segunda opção era fora da cidade, em um bairro novo, com poucas casas. Escolheu o ponto do bairro porque o aluguel custava um terço do outro. Seu negócio não teve público suficiente para se manter.

4. Falta de qualificação

Viviane sempre gostou de mexer com terra e resolveu montar um negócio de jardinagem. Não conhecia nada de forma mais aprofundada sobre o assunto e entrou num curso de jardinagem, mas logo arrumou serviço e não teve tempo de continuar o curso para se aprimorar. Os clientes exigiram mais conhecimento e seu negócio acabou.

5. Preço de venda acima do mercado

Ari conseguiu um ponto na feira de artesanato. Tinha dificuldade de vender suas bijuterias importadas pois, ainda que fossem muito bonitas, eram muito caras se comparadas com o preço de outros artesãos locais. As vendas não foram suficientes para manter seus custos.

6. Não fez o plano de negócio

Ricardo resolveu montar uma loja em Maceió e foi aconselhado a montar um plano de negócios. Ele achou que não precisava, pegou o dinheiro que tinha e montou a loja, No final do primeiro ano, o negócio enfrentava sérias dificuldades e ele já não sabia de onde elas surgiram. Teve que fechar sua empresa.

7. Desconhecimento de gestão

Mateus sempre teve boas ideias, todos já o consideravam um empreendedor. Ele já estava montando o seu terceiro negócio, pois os outros não tinham dado certo. Achando que já possuía experiência e sem consultar alguém com mais conhecimentos de gestão, seu terceiro negócio também faliu.

Todas essas situações são extremamente comuns no mercado. As três causas mais comuns para o fechamento de pequenas empresas são:

  • Falta de avaliação fria e calculada dos riscos;
  • Falta de habilidade para gerenciar um negócio próprio;
  • Falta de conhecimentos sobre o mercado.

Verifique se você possui alguma dessas dificuldades e se está preparado para gerenciar um negócio antes de cair de cabeça. É preciso se aprimorar sempre para que o sucesso seja possível.

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *